EDUCAÇÃO

Voltar
25/03/2019 | 13h04 | Núbia Alves, da editoria de Educação e Esporte

Aluno de escola municipal leva 3º lugar em concurso nacional de redação


Núbia Alves, da editoria de Educação e Esporte

Higor Melo, da Escola Municipal Rui Barbosa, escreveu dissertação argumentativa com o tema: Promoção dos Direitos Humanos e Garantia do Acesso à Justiça

O aluno Higor Melo, do Ciclo III da Escola Municipal Rui Barbosa, levou o terceiro lugar no 4º Concurso de Redação da Defensoria Pública da União, promovido no ano de 2018. O tema desta edição foi “Promoção dos Direitos Humanos e Garantia do Acesso à Justiça” e o educando escreveu uma dissertação argumentativa intitulada “O governo se finge de cego”, garantindo mais de 70 pontos na Categoria I do certame.

O orientador do projeto na instituição, professor Samuel Caetano, de Língua Portuguesa, contou como foi feita a preparação dos alunos para participar da competição. Ele explica que trabalhou com os alunos durante um mês, de forma interdisciplinar, a história, utilidade e importância dos Direitos Humanos para a sociedade. O concurso abrangeu educandos dos Ciclos II e III.

“O trabalho foi muito bom e feito durante um mês. O propósito foi tentar fazer um trabalho interdisciplinar, integrar a Língua Portuguesa com outras áreas, como história e geografia, para desenvolver questões críticas nos alunos. Abordamos a visão de como funciona os Direitos Humanos no mundo, qual sua história, porque eles são importantes. Discutimos bastante, principalmente sobre o contexto atual, com a questão política e de eleições”, falou.

Com as turmas de Ciclo III, a de Higor, o professor usou o material de apoio proposto pela própria DPU, como vídeos e gibis acerca do tema, e trabalhou diretamente com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, ratificada em 1948 pela Organização Mundial das Nações Unidas. Ele partiu do conhecimento prévio que os adolescentes tinham sobre o assunto e, gradativamente, foi aprimorando o conhecimento dos mesmos.

Higor Rafael da Paixão Melo, que tem 15 anos, será premiado com medalha de honra enviada pela Defensoria Pública da União, assim como o professor orientador, Samuel Caetano. O concurso tem como objetivo incentivar a reflexão e o debate sobre assuntos relacionados à educação em direitos nas escolas da rede pública de ensino de todo o país também nas unidades prisionais e sistema socioeducativo.

Compartilhe: