EDUCAÇÃO

Voltar
01/02/2019 | 13h53 | Lívia Máximo, da editoria de Educação e Esporte

Cmeis colocam em prática atividades específicas para a primeira infância


Prefeitura de Goiânia

Ações são resultados de formação continuada promovida pela SME e buscam melhor acolher bebês no início do semestre

 

Nada de choro, calor, cólica ou qualquer inquietude nas turminhas de bebês com até três anos de idade atendidos nos centros municipais de Educação Infantil (Cmeis) da Capital. Metodologias específicas para a faixa etária da primeira infância são aplicadas de modo que o bem-estar enquanto estão fora de casa, bem como o desenvolvimento cognitivo, motor e social das crianças ficam garantidos.

As práticas realizadas com os o bebês envolvem a organização de ambientes, exercícios e atividades diversas. A teoria aplicada na prática pelos profissionais da Educação Infantil, é resultado de cursos oferecidos pela Gerência de Formação dos Profissionais da Educação (GERFOR) da Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME), com a posposta advinda da Semana do Bebê, iniciativa nacional do Fundo das Nações Unidas Para a Infância (Unicef), promovida em 2018, em Goiânia, por meio da Gerência de Educação Infantil da SME, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SME).

 

“Nós trouxemos ideias e formulamos cursos que vêm sendo realizados desde o ano passado com os nossos profissionais da primeira infância. Então, o ano começou com muitas inovações no atendimento aos nossos bebês. É muito bom ver que a formação continuada contribui tanto no dia a dia do pedagogo que lida diariamente com as crianças e consegue reconhecer em cada uma delas melhorias e progresso nas descobertas, no crescimento, por meio do acolhimento e trabalho realizado na instituição. É um trabalho de excelência que revela profissionalidade docente”, ressaltou a gerente de formação da SME, Wilma Luiza Pinto.

Um exemplo de quem está tendo sucesso após fazer o curso “Ser professora de bebês” é a pedagoga Kênnia Rodrigues. Ela trabalha no Cmei Atheneu Dom Bosco, e conta como faz para manter os bebês mais tranquilos, principalmente nesses primeiros dias do ano letivo. “Preparo um ambiente, geralmente no pátio, na grama, na sombra onde temos árvores, coloco um tapete, um móbile de objetos com cores e texturas diferentes. Tem também um varal com chocalhos e mordedores. Para os que ainda não sentam, coloco pneus cobertos com lençol para apoio. Além disso, uso bolas de pilates em momentos de relaxamento na hora choro, além de trabalhar o equilíbrio motor”.

A professora ressalta ainda que o Cmei promove atividades culturalmente relacionadas à leitura, que também envolvem os bebês. “Preferimos fazer fora da sala, proporcionando contato com os livros, com a natureza e interação com as demais crianças do Cmei. Fazemos o uso de fantoches de pelúcia, livros animados, além de personagens reais interpretados por nós, professoras, que contamos histórias da literatura infantil. Tudo isso é dentro do projeto Bike da Leitura”, explicou Kênnia.

Outro exemplo de sucesso é no Cmei Setor União. Por lá, as professoras focam na liberdade de criação com a utilização de objetos recicláveis, por exemplo. A coordenadora pedagógica da unidade, Hellen Cristine Vieira do Amaral, também participou do curso “Ser professora de bebês” e já vê na prática os resultados. “As professoras voltaram com novas ideias, um ânimo diferenciado para trabalhar e planejar atividades. As formações são extremamente importantes, pois nos trazem novos olhares acerca do aprendizado da criança. Tudo que foi mostrado no curso, trazemos para o cotidiano e os bebês brincam, descobrem novas texturas, cores, desenvolvem a criatividade da maneira mais natural possível”, pontuou.

Os cursos de formação e aprimoramento são oferecidos pela SME, por meio da Gerfor, durante todo o ano letivo. Com cargas horárias e conteúdos específicos, todos possuem certificado. Mais informações podem ser consultadas no blog http://cefpe.blogspot.com/

 
 

Compartilhe: