EDUCAÇÃO

Voltar
09/03/2018 | 16h38 | Daniela Rezende, editoria de Educação e Esporte

Prefeitura oferece vagas em 59 escolas para Educação de Jovens e Adultos


Luiz Fernando Hidalgo

 

Alunos relatam a importância de retornar à sala de aula. Mais de sete mil alunos estão matriculados na modalidade de ensino e cerca de cinco mil vagas estão disponíveis

 

 

Margarete Luiza da Silva, 55 anos, aluna da Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja) da Escola Municipal Joel Marcelino de Oliveira, na Vila Finsocial é um exemplo de quem quer voltar a estudar. A estudante da oitava série está no último ano do ensino fundamental e retornou os estudos em 2010, na época, matriculada no primeiro ano.

 

De uma família com 12 filhos, Margarete natural de Turvânia, interior de Goiás, veio para a Capital ainda com 13 anos e ajudou sua mãe a cuidar dos irmãos menores. “Estudei muito pouco quando criança, mal aprendi a ler e escrever. Logo tive que ajudar a olhar os meus irmãos, já que minha mãe trabalhava fora. Nossa vida era muito difícil, morávamos em um cômodo e fazíamos comida no fogareiro”, conta a aluna.

 

Minha vida mudou muito depois que voltei a estudar. Amo a escola, se eu pudesse não saia de lá, porque sempre fui bem acolhida. Melhorei a leitura, aprendi mais matemática, conheço pessoas novas, esqueço os problemas, faço exercícios físicos, quebra cabeças, palavras-cruzadas. Costumo dizer que meu psicólogo é a escola”, completa Margarete.

 

Para outro aluno da Eaja, Sidinei da Silva Souza, 29 anos, voltar a estudar fez o diferencial na sua vida. Estudante da sexta série, na Escola Municipal Maria Helena Batista Bretas, no Setor Urias Magalhães, Sidinei voltou para a sala de aula na segunda série e em três já realizou muitos sonhos.

 

“Eu lia com dificuldade, para escrever então, era péssimo. Entrei na escola com o objetivo de tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e consegui. Logo, foram surgindo outros planos e percebi que podia ir mais longe. Fiz curso de empilhadeira e fui promovido a encarregado no meu trabalho. Estou muito satisfeito! Isso só foi possível porque a Prefeitura oferece o ensino à noite”, ressalta o aluno.
 

Sidinei, que está em Goiânia há 12 anos, é baiano e contou que não tinha opção a não ser voltar para a sala de aula. “Se eu não retomasse os estudos, não teria um lugar melhor para mim. Hoje, dirijo a máquina de empilhadeira e oriento 10 funcionários no trabalho. Meu patrão disse que ler é fundamental e não poderá mais contratar pessoas que não saibam ler. O que tenho para dizer as pessoas que ficam em casa vendo novela é que não percam tempo. Voltem a estudar”, ressalta.

 

Como se matricular

A Prefeitura de Goiânia oferece escolarização na Educação de Adolescentes, Jovens e Adultos (Eaja), da alfabetização até 8ª série, para quem ainda não está alfabetizado ou não concluiu o Ensino Fundamental na idade regular em 59 escolas da Capital.
 

Mais de sete mil alunos estão matriculados na modalidade de ensino e cerca de cinco mil vagas estão disponíveis. As matrículas podem ser feitas nas instituições localizadas em diferentes regiões da cidade, no período noturno, ou pelo site www.goiania.go.gov.br, em qualquer época do ano.
 

Um dos requisitos é ter idade acima de 15 anos. No período matutino e vespertino, a Secretaria Municipal de Educação e Esporte (SME) oferece ainda, vagas nas 36 turmas de extensão que funcionam em espaços alternativos, em parceria com diferentes segmentos da comunidade. Mais informações pelo telefone 3524-8923.

 

Serviço:
Assunto: Prefeitura de Goiânia oferece escolarização para jovens e adultos
Local: escolas municipais ou site www.goiania.go.gov.br
Contato: Assessoria de Comunicação: 3524-5054

 

Compartilhe: