JORNALISMO

Voltar
13/04/2018 | 14h34 | Polyana Soares

CEI da Saúde investiga gastos da Prefeitura com terceirização do serviço de Raio-X


Fernando Leite

Aparelhos sucateados e quebrados são utilizados no CROF

 

Em reunião da Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Saúde, estão sendo investigados gastos da Prefeitura com a terceirização do serviço de raio-X em seis unidades de saúde da Capital de Goiânia.

 

Segundo a CEI, em dois anos foram mais de 11 milhões gastos, enquanto a Secretária Municipal de Saúde (SMS) guarda sete aparelhos no estoque que nunca foram utilizados.  O Presidente da comissão, vereador Elias Vaz (PSB), verificou os aparelhos e diz está indignado. “Gera indignação o fato da prefeitura ter nas caixas esses aparelhos novos. Estão encaixotados no almoxarifado um valor de quase 12 milhões de reais”..., ressalta.

 

Vereadores constataram que os aparelhos do Centro de Referência em Ortopedia e Fisioterapia (CROF), estão sucateados e em péssimos estado. Os equipamentos quebrados são concertados com esparadrapos para atender os pacientes. Alguns aparelhos são do ano de 2009, contrariando os termos do contrato.  Uma das cláusulas exige que os equipamentos sejam substituídos por novos.

 

Os membros da CEI visitaram a divisão de material e almoxarifado da SMS, e verificaram que os equipamentos estão guardados nas caixas há dois anos. “Por que está guardado? É porque faltou o espírito público, o respeito com o dinheiro público que a população exige e que não esta tendo. O dinheiro está aqui na Lata do lixo. Não podemos aceitar isso...”, explica o vereador Clésio Alves (PMDB).

 

  Durante a visita foram encontrados vários produtos com validade vencida. Havia diversas caixas de luvas descartáveis com a data de fabricação do dia 06 de 2013, sendo que esse produto dura aproximadamente três anos. “É inexplicável. Luva cirúrgica é necessária em qualquer Unidade de Saúde, isso é falta de planejamento, de controle de gestão da SMS”, destaca a Vereadora Cristina Lopes (PSDB).

Compartilhe: