JORNALISMO

Voltar
03/02/2020 | 10h52 | Agência Brasil

Presidente da Embrapa fala sobre tecnologia em pesquisas na TV Brasil


Divulgação/Jorge Duarte/Embrapa

Dentre os planos da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) para 2020 está o investimento em pesquisa para substituir os transgênicos. Uma das alternativas é a edição genômica, que permite, por meio das chamadas tesouras genéticas, editar o DNA de plantas, animais e microrganismos. Mas o processo de edição genômica poderia substituir totalmente a transgenia? Para o presidente da Embrapa, Celso Moretti, a resposta é não.

“Eu não diria substituir totalmente, porque nós vamos ainda ser dependentes de alguns genes que estão em organismos que podem desenvolver um papel interessante, mas eu observo que, com o advento da edição genômica, com o fato de que você pode utilizar essas tesouras genéticas para mudar o DNA, ou seja, acordar ou colocar para dormir genes, não necessitamos tanto de transgênicos como necessitamos no passado”, explicou ao programa Conexão Ciência que vai ao ar nesta terça-feira (4) , às 5h30, na TV Brasil. O Brasil tem pesquisas de edição genômica com soja em feijão.

Além de agricultura digital, nano e biotecnologia, Moretti também falou sobre o envio da terceira remessa de sementes da Embrapa para o maior banco de sementes do mundo, o Svalbard, na Noruega. O pesquisador também fala sobre o banco genético da Embrapa, que é o quinto maior do mundo. Com capacidade para armazenar até 700 mil amostras, conta hoje com 120 mil amostras de animais, vegetais e microrganismos. É a Arca de Noé brasileira.

“É uma estrutura que garante não só a segurança alimentar brasileira, como a de outros países que muitas vezes nos solicitam amostras de sementes”, explicou ele, ressaltando que, além de uma questão de segurança nacional, o banco é estratégico já que o setor agropecuário brasileiro responde por quase 23% do Produto Interno Bruto nacional - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

 “É possível que tenhamos doenças que ataquem vegetais ou animais que nós não tenhamos nenhuma solução, nenhum remédio para resolver esse problema. E é lá no banco de sementes da Embrapa que nós vamos tentar buscar uma solução”, ressaltou Celso Moretti.

O programa Conexão Ciência, parceria entre a TV Brasil e a Embrapa, é exibido às terças-feiras, às 5h30. O programa de entrevistas, que tem duração de 26 minutos, recebe especialistas que discutem o desenvolvimento científico nas áreas agropecuária, de pesquisa, meio ambiente e tecnologia.

Compartilhe: