JORNALISMO

Voltar
06/06/2019 | 15h37 | Corpo de Bombeiros Militar/Governo de Goiás

Saúde alerta para prevenção às queimaduras


Edson Freitas, da Agir

O dia 6 de junho é lembrado em todo o País como o Dia Nacional de Luta contra as Queimaduras. A data, instituída por meio da Lei Federal 12.026/2009, visa alertar a população sobre a necessidade de adoção de medidas preventivas para a redução da incidência de acidentes que resultam em queimaduras.

 

Na avaliação de profissionais da área, a instituição da data é de fundamental importância, sobretudo neste período do ano, quando ocorrem as festas juninas e aproximam-se as férias de julho, quando as pessoas se excedem nas brincadeiras com fogos de artifício, viajam mais e ficam mais vulneráveis às ocorrências de queimaduras.

 

Grande parte das queimaduras ocorre no ambiente doméstico. Justamente por isso, tais acidentes podem ser prevenidos por meio de condutas e procedimentos adotados dentro de casa. O Governo de Goiás, por meio da Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO), confere atenção especial ao atendimento às vítimas de queimaduras graves.

 

O Hospital Estadual de Urgências da Região Noroeste de Goiânia Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol) conta com um núcleo especializado para assistência aos casos complexos de queimaduras. O Centro de Referência em Assistência a Queimados é inédito em Goiás por prestar atendimento especializado nessa área, exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

 

A unidade especializada em queimaduras do Hugol é uma das mais modernas do País. É composta por uma enfermaria, com dez leitos, e uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI), com sete. Associada a essa estrutura, dispõe de uma equipe multiprofissional formada por médicos de especialidades diversas, entre as quais terapia intensiva e cirurgia plástica, por fisioterapeutas, nutricionistas, fonoaudiólogos, assistentes sociais, psicólogos e terapeutas ocupacionais, entre outras categorias.

 

Atendimento


O supervisor da unidade de queimados do Hugol, Fabiano Calixto Fortes de Arruda, destaca que essa característica do setor – de um conceito mais amplo do atendimento – proporciona um resultado mais ágil e eficaz da queimadura. Ele informa que a assistência prestada, em diferentes aspectos, visa a uma recuperação global do paciente.

 

Fabiano Arruda destaca, ainda, que a unidade é destinada a acolher os casos mais complexos de queimaduras, de 2º e 3º graus, nos quais a lesão é maior que 10% da superfície corpórea, o que pode afetar as funções metabólica e hemodinâmica do paciente.

 

Da inauguração do hospital, em julho de 2015, até dezembro de 2018, a unidade já atendeu 1.539 pacientes vítimas de queimaduras graves. O caso mais recente foi o incêndio de grandes proporções em uma fábrica de material reciclável, no setor Chácara São Pedro, em Aparecida de Goiânia, na noite do dia 30 de junho. Uma pessoa morreu na área da empresa e cinco sofreram queimaduras após uma explosão. Todos os cinco feridos foram encaminhados ao Hugol.

 

De acordo com boletim médico, três vítimas ainda encontram-se internadas na UTI do Hugol. O paciente que estava internado na enfermaria da unidade recebeu alta médica. A quinta vítima, apesar de todos os esforços e procedimentos da equipe multidisciplinar da unidade hospitalar, foi a óbito.

 

Prevenção


Casos de queimaduras podem ser evitados com a adoção dos seguintes cuidados:


- Evite fumar, principalmente deitado


- Utilize cinzeiros fundos e com proteção lateral


- Em queimaduras elétricas, retire o fio da tomada ou desligue a energia geral. Nunca toque na vítima enquanto ela estiver em contato com a eletricidade. Toda vítima de queimadura elétrica deve ser levada ao hospital

- Evite manipular álcool perto de cigarros, charutos, fósforos acesos, churrasqueiras e fogueiras


- Não utilize álcool líquido diretamente sobre o fogo, na forma de jato, devido ao risco de explosão


- Investigue vazamentos de gás. Feche a válvula do botijão antes de sair de casa e antes de ir dormir


- Mantenha o botijão de gás longe do calor direto e sempre na vertical


- Manipule os fogos de artifício com cuidado


- Evite o uso de bronzeadores caseiros


- Nunca considere sem importância uma queimadura


- Fogo e bebida não combinam. Evite.

 

Cuidados básicos com crianças


As crianças menores de 5 anos de idade correm mais riscos devido a vários fatores como terem a pele mais fina, tempo de reação, pouca agilidade e principalmente a curiosidade. Por isso, alguns cuidados devem ser observados:


- Não prepare alimentos quentes com a criança nos braços ou no colo


- Mantenha as crianças longe da cozinha, principalmente na hora do preparo das refeições. A maior parte das queimaduras causadas por líquidos superaquecidos ocorrem nesse intervalo de tempo


- Não deixe ao alcance das crianças substâncias inflamáveis utilizadas para limpeza, como o álcool. Guarde-as em local seguro. 


- Não deixe crianças soltar fogos de artifício, principalmente do tipo explosivo. Além das queimaduras, causam lesões graves nas mãos, nem sempre passíveis de recuperação


- Não deixe fios e tomadas descobertos, porque podem causar lesões graves nas mãos e boca das crianças


- Não exponha a criança ao sol por muito tempo, principalmente das 10 às 15 horas

 

Em caso de queimaduras


- Nunca aplique produto caseiro como sal, açúcar, pó de café, pasta de dente, pomadas, ovo, manteiga, óleo de cozinha ou qualquer outro, pois eles podem complicar a queimadura e dificultar um diagnóstico mais preciso. As soluções caseiras para diminuir a dor e a ardência das queimaduras podem piorar e até causar infecção no local atingido


- Não tente tratar a vítima sem ter o conhecimento médico-científico necessário para a cura da lesão


- Não aplique gelo diretamente sobre o local, pois isso pode piorar a queimadura


- Não tente retirar pedaços de roupa grudados na pele. Se necessário, recorte em volta da roupa que está aderida à pele queimada. 


- Nunca fure as bolhas


- Não demore em pedir auxílio especializado, em caso de dúvida, sempre procure o hospital – quando mais tardio for o início do tratamento, pior. Queimaduras na face, genitália, mãos e pés são sempre consideradas graves, devendo ser procurado atendimento hospitalar imediatamente


- Evite também pomadas ou remédios naturais, assim como qualquer medicação que não for prescrita por médicos


- Em caso de ingestão de produtos cáusticos ou queimaduras em boca e olhos, lavar o local com bastante água corrente e procurar atendimento médico imediato


- Não toque a área afetada


- Não respire a fumaça em caso de incêndios. A fumaça pode causar queimaduras nos pulmões e brônquios, mesmo que não haja queimadura externa visível. Caso o ambiente esteja com muita fumaça, pode-se diminuir a inalação com um pano molhado próximo do nariz e boca e se locomovendo de agachado, com o nariz bem próximo ao chão, onde a concentração de fumaça é menor


- Não cubra a queimadura com algodão

Compartilhe: