04/12/2017 | 16h57 | Belisa Monteiro

Família de frei Confaloni prestigia exposição em Goiânia


Weslley Cruz

Visita pauta as comemorações pelo centenário de nascimento do artista que trouxe a arte moderna para Goiás

 

A PUC Goiás recebeu nesta segunda-feira, 4, a visita da sobrinha do frei Nazareno Confaloni, Rossela Orsini e seu esposo Aldo Quadrini, que conferiram a exposição Escola do Frei, sediada na Área 3, Praça Universitária, que traz trabalhos de 17 ex-alunos e seguidores do artista considerado o fundador da arte moderna em Goiás. A visita pauta as comemorações pelo centenário de nascimento do religioso, iniciadas com uma exposição na universidade no primeiro semestre e, a partir do dia 8 de dezembro, uma nova mostra será aberta ao público, intitulada ABC Confaloni, com 300 obras do frei expostas no Centro Cultural Oscar Niemeyer.

 

Os italianos foram acolhidos pela Reitoria e pelos professores e gestores da Escola de Artes e Arquitetura da instituição. É a segunda vez que Rossela vem ao Brasil. A primeira visita ocorreu há 10 anos para acompanhar projetos relacionados à obra do frei. “O legado dele está aqui exposto e mostra como ele soube colocar a semente em um terreno muito fértil, onde foi muito bem cuidada. As obras dos discípulos são a prova disso: foram desenvolvidas com técnicas diferentes, por pessoas que pegaram dele a inspiração, o gosto e o amor pela arte”, analisou a sobrinha do religioso.

 

Pioneirismo

 

Confaloni chegou ao Brasil em 1950, a convite de dom Cândido Penso, bispo de Goiás, para pintar os murais da Igreja do Rosário. Em 1952, foi um dos fundadores da Escola Goiana de Belas Artes, que foi incorporada à Universidade de Goiás, por ocasião de sua fundação em 1959. Em 1968 idealizou com Elder Rocha Lima, o curso de Arquitetura da então UCG. Ele lecionou desenho e pintura até o dia de seu falecimento em 4 de junho de 1977, em Goiânia.

 

“É o intercâmbio, o relacionamento entre culturas e, sobretudo, na presença dos familiares de Confaloni uma evocação às origens do curso de Belas Artes, Arquitetura, das origens da universidade, do cultivo da arte e qualificação de quadros de lideranças no mundo das artes aqui no estado de Goiás”, refletiu o reitor da instituição, Wolmir Amado.

 

Diretor da Escola de Artes e Arquitetura, prof. Marcelo Granato pontuou o pioneirismo do frei em Goiás: “faz parte da história do estado este movimento de arte moderna que foi inaugurado com a vinda do frei. Ele trouxe da Europa uma arte mais livre e, assim, contagiou seus alunos que produziram essa arte moderna. Precisamos conhecer para valorizar o que nós temos”, complementou.

 

Após o lançamento, a exposição internacional ABC Confaloni ficará aberta ao público até o dia 22 de fevereiro, de terça a sexta-feira, das 9h às 17 horas e aos finais de semana e feriados, das 11h às 17 horas. A entrada é franca.

 

Compartilhe: